Notícias

Universidades apresentam demandas a Governo Estadual

Reitores das sete Universidades Estaduais do Paraná se reuniram com o governador Ratinho Júnior na quarta-feira, 3 de abril, para apresentar as Instituições de Ensino Superior do Paraná (IES), com a perspectiva de estabelecer maior diálogo com o Governo. A reunião, intermediada pela Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (APIESP) e pelo líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Hussein Bakri, foi realizada no Palácio Iguaçu, em Curitiba.

Durante a reunião, os reitores apresentaram os trabalhos realizados nas IES, acentuando a importância das Instituições para o desenvolvimento das regiões em que estão inseridas, com destaque para os municípios do interior do Estado. A presidente da APIESP, professora Fátima Padoan, reitora da UENP, entregou ao governador documento que resume o trabalho de cada uma das sete Universidades Estaduais, e apresenta informações sobre pesquisa, serviços, ações de extensão e atendimento à comunidade.

“Nossas Universidades são fundamentais para o desenvolvimento do Estado e temos cumprido essa missão. Queremos contribuir ainda mais para auxiliar na melhoria da qualidade de vida das pessoas, por isso buscamos essa agenda com o governador, a fim de apresentar as Universidades, ressaltando a importância das IES para todo o Paraná”, disse a presidente da Apiesp.

O governador Ratinho Junior destacou a importância das Universidades para o Estado e que pretende realizar um governo mais aberto e próximo às Universidades. “Meu convite é para que a gente possa pensar juntos o Paraná. Não sou eu sozinho quem vou fazer do Paraná o Estado mais moderno do Brasil. Temos centenas de mestres e doutores, com muito conhecimento, que podem nos ajudar a pensar o desenvolvimento regional, principalmente as questões econômicas e sociais”, afirmou Ratinho Junior. “Os reitores têm papel de liderança e podem conduzir ações que fortaleçam o crescimento de municípios e regiões. Portanto, queremos mais eficiência, criatividade e novas ideias que possam melhorar a vida das pessoas”, disse.

O reitor da UEL e atual vice-presidente da APIESP, Sérgio Carvalho, afirmou que as sete Universidades, enquanto autarquias públicas, impactam diretamente na vida da população mais carente, pois oferecem ensino superior público gratuito, além de centenas de serviços nas áreas de saúde e assistência social por meio de projetos de extensão universitária.

“O governo tem grandes desafios e nós queremos estar lado a lado”, discursou o reitor da UEL. Ele destacou a necessidade do governo do Paraná estabelecer um marco regulatório que normatize a prestação de serviços das Instituições Públicas de Ensino Superior. Esta modificação legal poderá dar maior agilidade para que as Universidades realizarem a tão propalada inovação, transformando o conhecimento gerado nos laboratórios em produtos e novos serviços.

O deputado estadual Hussein Bakri definiu o encontro como um esforço de aproximação entre as Instituições e o governo estadual. “O governo quer ampliar o diálogo e esta é uma primeira visita para ouvir demandas e estabelecer o canal de comunicação efetivo”, disse.
Para o futuro superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Nelson Bona, essa primeira reunião com o governador foi importante para breves relatos dos reitores e para que eles pudessem conhecer o que o governo espera. “Queremos fazer um trabalho de estreita cooperação e de construção conjunta, visando utilizar esse capital intelectual e científico que temos nas instituições a serviço da população e do desenvolvimento regional”, disse.

03/04/2019 – Governador Carlos Massa Ratinho Junior, recebe reitores das universidades do Paraná.
Foto Gilson Abreu/Anpr

Apiesp busca ampliar diálogo com Assembleia Legislativa

A Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (APIESP), representada pelos reitores das sete universidades estaduais do Paraná, reuniu-se na quarta-feira, 3 de abril, com deputados estaduais, no auditório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da ALEP. Proposta pelo líder do Governo, deputado Hussein Bakri (PSD), a troca de experiências e colaborações contou com as presenças do presidente do Legislativo, deputado Ademar Traiano (PSDB) e do primeiro secretário, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB).

“O passado de enfrentamento e desgastes das Universidades com o Governo e a Assembleia ficou para trás. Há um desejo enorme da nossa parte em dialogar e, aproveitando esse novo ambiente, colocar a expertise do ensino superior a serviço do desenvolvimento do estado e dos municípios”, destacou Hussein Bakri.

Para a reitora da UENP, Fátima Aparecida da Cruz Padoan, que preside a APIESP, é preciso manter esforços pelo trabalho em rede da estrutura universitária. “Juntas, as universidades poderão contribuir para o planejamento do Governo do estado, focado na inovação tecnológica. As universidades entendem que devem estar à frente deste processo, por isso queremos demonstrar nossos potenciais também aos deputados”, destacou.
De acordo com o superintendente para Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, “busca-se construir uma nova relação das universidades com o Poder Legislativo, valorizando o potencial delas na execução de políticas públicas em todo o estado”, afirmou, destacando a participação dos 32 campi presenciais em municípios paranaenses, mais os polos de educação a distância e projetos financiados.

Participaram da reunião os os deputados: Alexandre Amaro (PRB), Arilson Chiorato (PT); Coronel Lee (PSL); Emerson Bacil (PSL); Evandro Araújo (PSC); Goura (PDT); Soldado Fruet (PROS); Nelson Luersen (PDT); Marcio Pacheco (PDT); e Tercilio Turini (PPS). Representando o Governo do Estado, o superintendente para Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona.

Representando as Universidades, participaram os reitores Fátima Padoan, da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP); Sérgio Carlos de Carvalho, da Universidade Estadual de Londrina (UEL); Júlio Cesar Damasceno, da Universidade Estadual de Maringá (UEM); Miguel Sanches Neto, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG); Antonio Carlos Aleixo, da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR); Osmar Ambrósio de Souza, na Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO); e Paulo Sergio Wolff, da Universidade Estadual do Oeste (UNIOESTE).

Reunião
Após apresentação no auditório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da ALEP, os reitores das sete Universidades se reuniram com o deputado estadual Emerson Bacil. Durante a reunião, o parlamentar, que é presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior da Assembleia Legislativa, manifestou interesse em trabalhar em conjunto com as IES para fomento da pesquisa no Paraná.

 

Representantes das IEES se reúnem para discutir aspectos estruturais das Universidades

Esta galeria contém 4 fotos.

Pró-reitores, prefeitos de campus, diretores, assessores e técnicos, representando as sete Instituições Estaduais de Ensino Superior (IEES), reuniram-se na sala do Conselho Universitário da Universidade Estadual de Maringá (UEM) na quarta-feira, 27 de fevereiro. A pauta da reunião envolveu questões de infraestrutura dos campi, plano de prevenção de incêndio e pânico, regularizações imobiliárias, dentre outros assuntos relacionados.

Dentre os fatores considerados durante as discussões, os representantes das instituições debateram a ausência e a deficiência de planos de segurança contra incêndio e pânico e as exigências legais relacionadas a estes planos; os desafios financeiros e logísticos para a elaboração e a implantação das respectivas estratégias de segurança contra incêndio e pânico.

Discutiu-se também a questão das brigadas de incêndio e sua implantação nas universidades, a necessidades de ampliação de quadros técnicos e linhas de fomento que possibilitem às IEES encarar as carências estruturais conforme as normas técnicas, dentre outros temas correlatos.

Como resultado dos debates, os representantes concordaram em recomendar à APIESP a criação de um Fórum Permanente de Planejamento do Espaço Físico e Territorial das IEES Paranaenses, para elaborar estratégias relacionadas às demandas estruturais e em cumprimento às normas presentes no Parecer CEE/CES 53/18.

Congresso Técnico define metas para atuação da Apiesp

O 3° Congresso Técnico da Apiesp – Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público – realizado nos dias 27 e 28 de setembro, apresentou diretrizes, metas e ações para a atuação da Apiesp na Internacionalização, no Ensino, Pesquisa e Extensão, na Gestão Universitária e na Comunicação para o biênio 2018/2020.

O evento, que contou com a participação dos reitores da UEL, Sérgio Carlos de Carvalho; da UEM, Júlio César Damasceno; da UEPG, Miguel Sanches Neto; da Unioeste, Paulo Sergio Wolff; da Unicentro, Aldo Nelson Bona; da UENP, Fátima Aparecida da Cruz Padoan; e da Unespar, Antonio Carlos Aleixo, teve como tema norteador “O papel da Apiesp frente aos desafios do contexto atual”.
A primeira mesa do evento foi composta pelos reitores que apresentaram suas perspectivas em relação as universidades estaduais e o trabalho a ser desempenhado pela Apiesp por meio do tema “Entraves na gestão das universidades estaduais: o papel da Apiesp frente aos desafios apresentados pelo contexto atual. Diretrizes e metas para atuação da Associação no biênio 2018-2020”.

Questões como a crise de pessoal e de orçamento das Universidades, a necessidade de repensar a finalidade da Instituições de Ensino Superior Público e seu modelo de gestão e o papel de seus gestores foram assuntos convergentes na fala dos reitores, que trataram ainda de temas como responsabilidade social e necessidade de melhor diálogo com outras esferas do Governo.

Para a presidente da Apiesp, Fátima Aparecida da Cruz Padoan, o Congresso realizado pela Associação foi um momento importante para que a Apiesp pudesse traçar diretrizes e metas para sua atuação nos próximos dois anos. “Tivemos um ótimo resultado após os trabalhos realizados nesses dois dias. Sabemos que há muito a ser feito, mas temos um norte após esse Congresso. Eventos como este nos qualificam para buscar realizar as ações necessárias para fortalecer nossas universidades”, destacou a presidente. “Quero destacar, de maneira especial, o apoio financeiro da Fundação Araucária que viabilizou a realização desse evento”, agradeceu Fátima.

Durante o Congresso, foram formados quatro grupos de trabalhos que trataram dos temas Gestão Universitária; Internacionalização; Ensino, Pesquisa e Extensão; Gestão Universitária e Comunicação. Dentre as metas destacadas pelos grupos, destaca-se o pedido para elaboração de uma política Estadual de Gestão de Ensino Superior, visando diminuir as assimetrias e elaboração de parâmetros balizadores para gestão de recursos humanos e recursos financeiros.

Outras necessidades apontadas pelos grupos de trabalhos foram sobre a necessidade de a Apiesp atuar de maneira mais proativa nos pleitos pelos direitos e em defesa das Universidades, assim como buscar superar o “isolacionismo” das universidades, além de estabelecer maior diálogo político.

Para a internacionalização, foi proposto pelo grupo de trabalho que a Apiesp possa proporcionar maior visibilidade às IES do Paraná, via câmara de internacionalização, perante órgãos Nacionais e Internacionais, possibilitando a filiação e participação em feiras e eventos internacionais. O grupo propôs ainda alteração e atualização do Estatuto da APIESP, para inclusão da câmara da internacionalização para o desenvolvimento de um plano de internacionalização da APIESP para o Estado. Dentre as ações propostas na área de Comunicação, está a realização de um plano para criar diretrizes de trabalhos a serem realizados e produção de materiais institucionais para as Universidades.

No evento, foi assinado pelos reitores das Universidades Estaduais Termo de Cooperação – Paraná Fala Idiomas / inglês e Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Apiesp realiza 7° Seminário de Internacionalização das Instituições de Ensino Superior do Paraná

A Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (Apiesp) realizou, na quinta-feira, 27 de setembro, em Guaratuba, o 7° Seminário de Internacionalização das Instituições de Ensino Superior do Paraná (SIIES). O evento discutiu ações para o fortalecimento da internacionalização em casa, dinâmicas interculturais na internacionalização curricular, processos de internacionalização do ensino superior, além de oportunizar o diálogo para o fortalecimento das parcerias entre a APIESP e o Canadá, APIESP e a AUALCPI e o Centro Regional para Cooperação em Educação Superior na América Latina e Caribe (UNESCO-IESALC).

O Seminário, que reuniu as sete Universidades Estaduais do Paraná (UEL, UEM, UEPG, Unioeste, Unicentro, UENP e Unespar), foi realizado juntamente com o 3° Congresso Técnico da Apiesp, que contou com a presença de reitores, vice-reitores, pró-reitores e assessores das relações internacionais das instituições associadas para reunião técnica que definiu metas e ações para Associação para o biênio 2018/2020.

A presidente da Apiesp e reitora da UENP, Fátima Aparecida da Cruz Padoan, enalteceu o trabalho realizado pelos escritórios de relações internacionais das Universidades, a fim de aperfeiçoar as ações voltadas para área. “Foi um momento muito produtivo para todas as Universidades. O trabalho realizado traz novas perspectivas para a atuação da internacionalização por meio da Apiesp. Temos de buscar meios para fortalecer cada vez mais a internacionalização nas nossas instituições, visando projetá-las para além de seus muros por meio de uma política sólida e em rede”, disse Fátima Padoan.

A coordenadora do evento, Eliane Segati Rios Registro, destacou a relevância dos temas discutidos, que contribuirão para o fortalecimento da rede de internacionalização das universidades, em conjunto com o apoio da APIESP. “Para nós, o apoio dado pela APIESP para o desenvolvimento de ações de internacionalização é de fundamental importância, legitimando-nos frente aos órgãos estaduais, federais e internacionais pela qualificação do ensino superior do Paraná”.

O 7° Seminário de Internacionalização contou com as palestras “A Internacionalização em casa: casos de sucesso do EMI como instrumento de desenvolvimento”, realizada pela professora-doutora Cristina Mott Fernandez (UEM); “Dinâmicas Interculturais na Internacionalização Curricular. Experiências e Desafios”, com a professora-doutora Gracia Maria Clérico – da Universidad Nacional del Litoral – Santa Fe, Argentina.

O evento discutiu ainda os “Processos de Internacionalização do Ensino Superior”, com a professora-mestre Alessandra Quadros Zamboni (Unespar); “Associação de Universidades da América Latina e Caribe para a Integração e o Centro Regional para Cooperação em Educação Superior na América Latina e Caribe”, (UNESCO-IESALC): ações e parcerias”, com o professor-doutor Daniel Vaz, vice-presidente AUALCPI; e “Possibilidades de cooperação com o Canadá” – English School of Canada – com a professora Melina Trindade, que anunciou durante a palestra o oferecimento de sete bolsas de estudos no Canadá para estudantes das Universidades associadas à Apiesp, pelo programa Paraná fala Idiomas/Inglês, além de descontos especiais para estudantes e servidores das universidades estaduais pela English School Of Canada.

A APIESP agradece a Fundação Araucária por todo apoio destinado para realização do evento.

III Congresso Técnico da APIESP e VII SIIES

 

III Congresso Técnico da APIESP

VII Seminário de Internacionalização das

Instituições de Ensino Superior do Paraná

 

27 e 28 de Setembro

 

Guaratuba-PR

 

Acesse o site do evento e faça sua inscrição.

 

Ao longo dos últimos 22 anos, a Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (APIESP) tem contribuído fortemente para o crescimento e fortalecimento das IES do Paraná. Desde 2015, a APIESP reúne seus membros em um Congresso Técnico, a fim de discutir temas pertinentes ao desenvolvimento das instituições associadas.

A primeira edição do Congresso foi sediada na Universidade Estadual de Londrina (UEL), em 2015 e, dois anos depois, o Campus Santa Cruz (Guarapuava) da Universidade Estadual do Centro Oeste (Unicentro) foi palco da segunda edição do Congresso Técnico. Esta última teve como objetivo discutir o tema da autonomia universitária, e contou com a presença de reitores de diferentes estados.

A terceira edição será realizada entre os dias 27 e 28 de setembro, no Spazio Marine Hotel, em Guaratuba, Paraná e terá como tema norteador o papel da APIESP frente aos desafios do contexto atual.

Juntamente com a realização da terceira edição, o evento também sediará o VII Seminário de Internacionalização das Instituições de Ensino Superior do Paraná (SIIES), com o objetivo de discutir ações para o fortalecimento da internacionalização em casa e projetos de colaboração entre APIESP, Rede ZICOSUR Universitária e Rede de Universidades Provinciais da Argentina (RUP).

SOBRE AS RESTRIÇÕES ORÇAMENTÁRIAS DA CAPES PARA O ANO DE 2019

A Associação Paranaense de Instituições de Ensino Superior Público – APIESP,  a que  se vinculam as sete Universidades Estaduais do Paraná, MANIFESTA PUBLICAMENTE sua preocupação com os cortes anunciados na proposta orçamentária para o ano de 2019 para a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), uma vez  que a pesquisa brasileira sofrerá uma série de prejuízos se o governo a mantiver.

Segundo nota divulgada pelo Conselho Superior da CAPES, a proposta orçamentária apresenta um corte significativo nos recursos em relação ao orçamento de 2018 e os impactos serão graves para os programas de fomento que ela desenvolve. Os cortes no orçamento da agência poderão resultar na suspensão do pagamento de bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado, além da interrupção de programas estratégicos como do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), do Programa de Residência Pedagógica e do Programa Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR), bem como  na interrupção do funcionamento do Sistema UAB (Universidade Aberta do Brasil) e dos mestrados profissionais do ProEB (Programa de Mestrado Profissional para Qualificação de Professores da Rede Pública de Educação Básica).

Igualmente, serão interrompidos os programas de fomento à internacionalização dos Programas de Pós-graduação e a inserção das Universidades brasileiras em redes de pesquisa internacionais.

Os cortes orçamentários indicados causarão um prejuízo inestimável ao sistema nacional de pós-graduação e, consequentemente, de modo  perene às Universidades Brasileiras.

Diante de tal contexto,  a Associação Paranaense de Instituições de Ensino Superior Público – APIESP manifesta apoio à CAPES pela manutenção do seu orçamento, em defesa da Universidade Pública, Gratuita e de Qualidade!

Reitora Fátima Aparecida da Cruz Padoan

Presidente da APIESP

Reitor da UEPG passa presidência da APIESP à reitora da UENP

O reitor Carlos Luciano Sant’Ana Vargas, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), passa o cargo de presidente da Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (APIESP) à reitora Fátima Aparecida Cruz Padoan, da Universidade Estadual do Paraná (UENP). A solenidade de transmissão da presidência ocorre nesta sexta-feira (20), em Jacarezinho, no mesmo ato de posse da professora Fátima Padoan, recentemente reeleita para um mandado de mais quatro anos à frente da Reitoria da UENP. Atualmente ela ocupa a vice-presidência da entidade.

Juntamente com a reitora Fátima Padoan, serão empossados os reitores Sérgio Carvalho, da Universidade Estadual de Londrina (UEL), como vice-presidente; e Antônio Carlos Aleixo, da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), na tesouraria. O mandado é de dois anos. Criada em 1994, a APIESP é uma instituição que reúne as setes universidades estaduais do Paraná, com o objetivo de promover gestões junto a esferas governamentais em favor das políticas públicas de ensino superior, da disseminação da produção de saber em todos os campos do conhecimento e no estímulo dos intercâmbios entre as suas filiadas.

Diretoria da APIESP para o período 2018/2020: reitores Sérgio Carvalho (vice-presidente); Fátima Padoan (presidente); e Antônio Carlos Aleixo (tesoureiro)

A nova presidente da APIESP possui graduação em Ciências Contábeis pela Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Cornélio Procópio (1991) e mestrado em Contabilidade pela Universidade Federal do Paraná (2007). Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Ciências Contábeis, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão pública, ensino da contabilidade, gestão estratégica e auditoria interna. Foi reeleita para o cargo de reitora em pleito realizado em 3 de maio último, obtendo 95,05% dos votos válidos.

Ao ser eleita para a presidência da APIESP, Fátima Padoan disse que assume o cargo com grande satisfação, para, junto como os reitores das demais universidades, buscar o desenvolvimento do ensino superior público do Paraná. “Essencial para o fortalecimento das instituições públicas do Estado, a APIESP tem atuado, há mais de 20 anos, em defesa de nossas universidades, com papel decisivo para negociações e articulações junto aos governos e outras entidades”, diz.

BALANÇO

O atual presidente da APIESP, reitor Luciano Vargas, destaca a eleição da reitora da UENP, como uma consequência do trabalho que desenvolveu nos últimos dois anos, na vice-presidência da entidade, revelando-se como uma interlocutora das universidades junto às diversas instâncias do governo, Assembleia Legislativa e Tribunal de Contas. Vargas agradece ao apoio recebido no período em que esteve à frente da APIESP, de todos os reitores e reitoras, assim como dos vice-reitores que tiveram participação ativa nas ações da entidade. Ele estende os agradecimentos à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), nas pessoas dos secretários João Carlos Gomes e Décio Sperandio, bem como os servidores da pasta, e a secretária da APIESP, Marileiva Ferreira Nunes.

Atual diretoria da APIESP, reitores Fátima Padoan (vice-presidente); Luciano Vargas (presidente); e Antônio Carlos Aleixo (tesoureiro)

Nos dois anos na presidência da APIESP, Luciano Vargas destaca algumas frentes de trabalho que exigiram da entidade posicionamentos firmes frente a decisões governamentais que prejudicavam as universidades, como o corte de recursos; redução da carga horária de professores colaboradores; e a mudança de posicionamento em relação ao TIDE. Cita ainda a questão da inclusão das IES no Programa Meta 4, com uma reunião inédita dos conselhos universitários das sete universidades, em Londrina; e a mobilização pela aprovação da PEC 395, que previa a possibilidade de cobrança de cursos de especialização nas instituições públicas, proposta que foi rejeitada pela Câmara Federal.

O reitor da UEPG inclui também a elaboração, a partir da APIESP, da proposta de Autonomia Universitária, documento que foi construído após discussões realizadas no âmbito das comunidades universitárias das sete universidades estaduais, com realização de reuniões conjuntas dos grupos de trabalho de cada instituição e aprovação dos pareceres nos respectivos conselhos universitários, para encaminhamento ao governo. Assunto esse também discutido no II Congresso Técnico da APIESP, realizado em Guarapuava. “Esta união tem sido fundamental para que nossas universidades se mantenham fortes como um patrimônio da sociedade paranaense, com ensino público e de qualidade”.

APIESP se manifesta sobre vetos à lei do TIDE

A Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (APIESP), entidade que reúne as sete universidades estaduais do Paraná, reunida no dia 17 de julho, após análise e discussão sobre as razões do veto promovido pela governadora Cida Borghetti, decidiu trazer a público o documento denominado ”Ponderações sobre os argumentos da PGE que motivaram o veto à Lei do TIDE” (acesse o documento AQUI).

Inicialmente a APIESP ressalta a importância do encaminhamento da mensagem de lei com o objetivo de superar os impasses promovidos em relação à interpretação do Regime de Trabalho em Tempo Integral e Dedicação Exclusiva (TIDE nas universidades.

O substitutivo aprovado na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) mantém a espinha dorsal da mensagem do governo e em nada altera a sua essência. Apenas objetiva dar uma redação de maneira a dirimir dúvidas interpretativas e dar segurança jurídica aos docentes.

Os vetos apresentados, fundamentados em argumentos da Procuradoria Geral do Estado, geram uma situação inadministrável nas IEES, considerando que extinguem todo o regramento vigente sobre a matéria, gerando um vácuo legislativo que demanda urgente revisão.

Universidades estaduais recebem apoio da bancada federal do Paraná

As sete universidades estaduais do Paraná iniciam o ano letivo de 2018 com a perspectiva de recebimento de recursos financeiros da União, graças a uma articulação entre os deputados federais do Paraná e os reitores, por meio da Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (Apiesp). Cerca de R$ 21 milhões serão distribuídos igualitariamente entre UEM (Universidade Estadual de Maringá), UEL (Universidade Estadual de Londrina), Unespar (Universidade Estadual do Paraná), UENP (Universidade Estadual do Norte do Paraná), Unioeste (Universidade Estadual do Oeste), UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa) e Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste). O convênio, ressalta o presidente da Apiesp e reitor da UEPG, professor Luciano Vargas, foi assinado no final de 2017.

A atitude dos 30 parlamentares do Estado na Câmara Federal, priorizando a proposição de emenda às Instituições Estaduais e Ensino Superior (IEES), demonstra a importância das Universidades em suas respectivas regiões de atuação, especialmente no combate à desigualdade social e econômica. Os sete reitores apontam que o empenho e a sensibilidade dos congressistas, sob a coordenação do deputado Toninho Wandscheer (líder da bancada), foram fundamentais para o sucesso da articulação. “Esses R$ 21 milhões poderiam ter sido alocados em outras atividades. Mas os parlamentares tomaram a atitude unânime de valorizar as Universidades, que tanto fazem especialmente pela parcela mais carente da população”, pondera o reitor da Unicentro e presidente da Associação Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), professor Aldo Nelson Bona.

Cada instituição poderá aplicar a cota de R$ 3 milhões conforme suas necessidades específicas de custeio e aquisição de equipamentos. A liberação dos recursos deverá ocorrer ao longo de 2018 e beneficiará as comunidades acadêmicas das sete universidades estaduais. “A Apiesp reconhece e agradece o trabalho dos deputados da bancada federal paranaense em favor das nossas universidades”, destaca o presidente da Associação, professor Luciano Vargas.